Testemunho 38 de 225 no processo de homicídio Narges Achikzei

caret-down caret-up caret-left caret-right
Funcionário público
A mulher que foi presa no final de Janeiro no caso do assassinato do estudante de contabilidade Narges Achikzei, de 23 anos, encontra-se em prisão preventiva durante noventa dias. Isto foi decidido na semana passada pelo tribunal de Utrecht. MDNDR017, assessora de imprensa do Ministério Público de Utrecht: "Estamos a trabalhar arduamente na investigação. Noventa dias é o período máximo de prisão preventiva. Dentro desse período, o caso criminal do suspeito deve ter sido tratado pelo tribunal. Quando Narges abriu a porta em 7 de dezembro porque um pacote foi entregue a ela, ela foi despejada com líquido inflamável e incendiada. Nessa mesma noite, morreu de ferimentos. No final de Janeiro, os meios de comunicação social deram grande atenção ao caso. Dez dicas vieram sobre isso. Na mesma semana, o suspeito relatou à polícia. A partir de 1 de Setembro de 2008, Narges começou a estudar contabilidade no departamento de Economia e Gestão da Fraijlemaborg. Aos 16 anos ela veio do Afeganistão como refugiada com sua família para a Holanda, onde recebeu asilo. Narges era conhecido pela contabilidade como um bom aluno. Ela foi muito ativa durante as palestras. No final do ano passado, ela foi viver sozinha em Zeist. Ela estava prestes a se casar. (AG)

Posted in assassinato Narges Achikzei, Autoridades neerlandesas, Denunciante, Inovação, Investigação and tagged , , , , , .